O Astrólogo Védico

Guia sobre Identidade de Gênero na Astrologia Védica

Identidade Gênero na Astrologia Védica

Introdução

Como astrólogo, é importante iniciar este debate sobre a identidade de gênero na Astrologia Védica com uma observação fundamental: este não é meu campo de especialização. Embora eu tenha sólido conhecimento dos princípios e conceitos astrológicos, reconheço que, como alguém da geração X tardia, posso estar desatualizado em relação às discussões e nuances em constante evolução sobre identidade de gênero e diversidade sexual.

Neste artigo, minha intenção é oferecer algumas reflexões astrológicas que podem ser relevantes para entender a relação entre astrologia e identidade de gênero. No entanto, é crucial compreender que minha perspectiva é limitada, e esta é apenas uma tentativa inicial de explorar esse território.

Entendo que minha voz pode não ser a mais autoritária nesse tópico e isso deve ser um incentivo para você leitor, especialmente aqueles com experiência pessoal nas complexidades da identidade de gênero, a ampliarem essa conversa e aprofundarem o assunto. Este artigo pretende ser um ponto de partida, um convite para que outros contribuam com suas perspectivas e experiências únicas para enriquecer o estudo.

Tanto a comunidade da astrologia quanto a comunidade LGBTQIA+ compartilham o interesse na busca pela identidade e aceitação em um mundo frequentemente desafiador. Os tópicos relacionados ao gênero e à sexualidade não são novidade nem para a humanidade nem para a astrologia.

A astrologia védica tem o poder de abordar os temas comuns da vida cotidiana, mesmo quando os antigos textos não mencionavam diretamente muitos aspectos da vida moderna. Vamos explorar os aspectos astrológicos que podem influenciar a identidade de gênero e a orientação sexual, compreendendo as diversas maneiras de utilizar a astrologia védica como ferramenta de autoconhecimento e empoderamento.

Caso você tenha chegado agora e ainda não teve contato nenhum com Astrologia Védica, saiba que a astrologia védica é uma astrologia sideral, portanto as vezes os planetas caem em signos diferentes. Se tiver interesse em conhecer o seu mapa indiano sugiro procurar um astrólogo védico. Se não for possível no momento, dá uma olhada nestes dois post para fazer o seu mapa indiano gratuitamenteOs 5 Melhores Softwares de Astrologia Védica: Guia para Iniciantes e 5 Apps de Astrologia Védica que Não Podem Faltar no Seu Celular. Se quiser começar a aprender disponibilizei uma apostila com o básico da astrologia védica aqui.

Em artigos anteriores, já tratamos de diversos tópicos sobre relacionamentos, recomendo dar uma olhada nestes posts e verificar como cada uma dessas regras se ressoa com o seu mapa:


Leia Também:

Mangalika Dosha e outros Sinais Vermelhos em Relacionamentos na Astrologia Védica

Regras da Atração: a Vida Conjugal do Ascendente e os 12 Signos

Compatibilidade de Yoni: Como os 27 Nakshatras afetam a Lua

Yoni Kuta: o Kama Sutra e a Lua nos 27 Nakshatras

Regras da Atração: 12 Signos e Vênus em um Mapa Védico Masculino

Regras da Atração: O que Marte diz no Mapa Astral Feminino?

Calendário Astrológico de 2024 Gratuito


LGBTQIA+ e a Identidade de Gênero na Astrologia

À medida que as pessoas LGBTQIA+ são frequentemente excluídas das religiões organizadas e de outras comunidades, não é surpreendente que muitos se voltem para o antigo conhecimento da astrologia como uma maneira de se conectar consigo mesmo e com a sua espiritualidade.

Como sabemos, astrologia vai além de ser apenas uma curiosidade, mas se torna também uma forma de compreender questões em torno da identidade. É imperativo entender que diferente de outros grupos, ambas as comunidades LGBTQIA+ e a comunidade da astrologia em geral estão comprometidas com a autoanálise. Sabendo disso, é importante salientar que muitos na comunidade LGBTQIA+ naturalmente tiveram que fazer em abundância reflexões para entender a si mesmos e o seu lugar no mundo. Portanto, tem uma enorme vantagem quando unem a sua sensibilidade com a arte da astrologia.

Mas como podemos lançar luz sobre a identidade de gênero na Astrologia Védica? É importante lembrar que a identidade de gênero é uma experiência profundamente individual. Assim como existe uma enorme matiz em torno da identidade, podemos dizer que isso ressoa com as diversas pequenas nuances de um mapa astral e como cada que o tornam único. Não há uma única fórmula astrológica que defina a totalidade de alguém, por isso a arte da interpretação pode ser tão desafiadora. A todo momento temos interpretar a influência de Planetas e tendências que muitas vezes podem ser antagônicas ou aparentemente conflitantes mas que nos tornam seres humanos únicos.

Simultaneamente, a astrologia transcende a autodescoberta individual na diversidade. É um meio descomplicado de nos conectarmos com outras pessoas e desvendar nossa identidade. A astrologia nos possibilita construir comunidades com base na similaridade e na diversidade. Ela nos capacita a nos explorar, a afirmar nossa verdadeira essência, a encontrar nossa tribo, e a experimentar uma sensação maior de segurança e pertencimento.

Indicadores em torno dos Gênero na Astrologia Védica

Gênero dos Signos e dos Planetas

Parashara em seu clássico BPHS, define os Rashis (Signos) de diversas formas entre elas uma classificação de Gênero para cada um dos Signos. Isso se inicia com o gênero masculino atribuído a Mesha (Áries), feminino para Touro, e assim por diante. Essa caracterização pode ser interpretada de diversas maneiras. Os planetas, ou Grahas, também têm gêneros atribuídos a eles. No entanto, esses gêneros não se limitam à tradicional dicotomia, sendo três em número.

O Gênero dos Signos

Signos MasculinosSignos Femininos
ÁriesTouro
GêmeosCâncer
LeãoVirgem
LibraEscorpião
SagitárioCapricórnio
ÁquarioPeixes

Planetas Masculinos e a Identidade de Gênero na Astrologia Védica

O Sol, Marte e Júpiter são os planetas de natureza masculina. Quando analisamos o Gênero na Astrologia Védica em conjunto com outras características desses planetas, compreendemos suas particularidades. O Sol possui uma energia masculina madura, autocentrada e ativa. Marte é reconhecido como um guerreiro, representando a energia masculina jovem e impulsiva. Júpiter, o planeta da sabedoria, encarna a energia masculina sábia e madura.

Planetas Femininos e a Identidade de Gênero na Astrologia Védica

Na classificação de planetas de acordo com Gênero na Astrologia Védica, Vênus e a Lua são os planetas que se destacam por sua natureza feminina. Até mesmo textos de poesia, que não são relacionados à astrologia enaltecem a beleza que esses dois Grahas representam no universo feminino. Alguns autores afirmam que Rahu irradia uma energia explosiva e selvagem feminina, sendo especificamente associado a uma feminilidade desenfreada e indomável. Isto está aberto a debate visto que a maioria das classificações sobre os nodos apresenta enorme confusão e pontos de vista diferentes.

Planetas do Terceiro Gênero na Astrologia Védica

Os planetas que não se enquadram nas categorias masculino ou feminino são Saturno, Ketu e Mercúrio. Saturno é o significador da velhice e, portanto, é sexualmente fraco ou neutro. Mercúrio é fluido em relação ao gênero, nem masculino nem feminino. Outra interpretação de Mercúrio é que ele é uma criança prestes a entrar na adolescência e, portanto, ainda não atingiu a maturidade sexual.

Alguns textos afirmam que Saturno é uma mulher que age como um homem, enquanto Mercúrio é um homem que age como uma mulher. De acordo com algumas histórias, Mercúrio, ou Budh, foi casado com Ila, que era andrógina. Ila, que nasceu mulher, foi amaldiçoada a mudar de gênero a cada mês. A lenda afirma que Budh e Ila alternaram entre os gêneros.

Neste contexto, não há muitos debates, todos concordam que Ketu age de acordo com uma tendência assexual, por muitas vezes estar relacionado a monges e toda sorte de renunciantes. Portanto, este Graha tem a capacidade de induzir à comportamentos assexuais e a celibacia.

Genero na Astrologia Vedica LGBTQIA jpg

Gênero dos Nakshatras

Os Nakshatras, também conhecidos como mansões lunares, têm esse nome porque a Lua permanece em um Nakshatra por um dia, abrangendo treze graus e vinte minutos. Cada um dos signos do Zodíaco é composto por dois e um quarto de Nakshatra. As referências aos Nakshatras já podiam ser encontradas no Rig Veda, que afirma a existência de vinte e sete deles.

A astrologia védica faz uso dos Nakshatras para diversas finalidades e os categoriza de acordo com suas características. Além disso, os Nakshatras também foram classificados de acordo com o Gênero na Astrologia Védica, conforme detalhado no livro Kalaprakashika.

Nakshatras MasculinosNakshatras FemininosNakshatras Neutros
AshwiniUttrasadhaMrigashira
RohiniAshleshaMula
PushyaPurva PhalguniShatabhisha
Purva BhadrapadaUttara Phalguni
Uttara bhadrapadaPurvasadha
HastaDhanistha
ShravanBharani
AnuradhaArdra
PunarvasuMagha
Chitra
Jyeshtha
Revati
Vishakha

As Tendências de Gênero na Astrologia Védica em um Horóscopo

Podemos analisar a sexualidade e o gênero de uma pessoa começando pelo Ascendente e posteriormente estudando as casas do desejo, conhecidas como Kama Trikona, indicadas pela 3ª, 7ª e a 11ª casa. Além disso, podemos estudar o Navamsa (O Mapa divisional D-9) e a 4ª, 5ª, 8ª, e 12ª casa do mapa normal para obter mais detalhes. Se algum dos planetas de terceiro gênero na astrologia Védica influenciar essas casas, o mapa astral deve ser examinado em busca de indicações adicionais. Um padrão de planetas e signos do mesmo gênero indicam uma predisposição no mesmo sentido, mas planetas masculinos em signos femininos, e vice-versa, também é outro indicador básico que podem haver fluidez e até mesmo conflitos.

Quando uma pessoa possui configurações planetárias que apontam para uma maior disposição sexual, ou seja, um planeta impulsivo como Marte ou Rahu, juntamente com indícios de desejos LGBTQIA+, é mais provável que essa pessoa aja de acordo com seus anseios.

No entanto, antes de fazer qualquer afirmação quando se trata de relacionamentos devemos olhar a posição de Júpiter. Devido a Júpiter ser o representante das práticas tradicionais, acredita-se que sua influência sobre quaisquer das casas de relacionamento indiquem que o nativo tende a suprimir qualquer coisa fora do padrão. Contudo, permanece em debate se essa influência as neutraliza ou leva o indivíduo a reprimi-las.

Alguns Indicadores de Tendências Não-Hétero

  • – O regente fraco ou debilitado da 7a Casa e ao mesmo tempo aflito por maléficos.
  • – Presença no Ascendente de Signo e Planetas de gênero oposto ao sexo.
  • – A conjunção de Marte e Vênus na 12a e na 8a Casa. O olhar de Rahu ou a presença de Rahu fortalece a tendência.
  • – Problemas na 5a e 7a Casa com um dos senhores das casas debilitado ou aflito por um planeta maléfico.
  • – Mercúrio e Ketu conjuntos na 4a, 5a, 8a, 11a ou 12a, especialmente nos signos de Gêmeos ou Escorpião. 
  • – A presença dos três planetas do terceiro gênero (Mercúrio, Saturno e Ketu) nas 7a, 8a ou 12a, assim como a presença deles na 7a casa do Navamsa.

Conclusão

Espero que este artigo tenha ajudado a explorar a temática da identidade de gênero na astrologia védica. A astrologia pode ser uma ferramenta de reflexão e autoconhecimento, é apenas um dos muitos recursos disponíveis para entendermos a nós mesmos e o nosso lugar.

Além disso, como mencionado anteriormente, este debate é apenas um ponto de partida. Encorajo todos os leitores a se envolverem na conversa e contribuírem com suas próprias perspectivas e experiências. A diversidade de vozes enriquece nossa compreensão e promove a empatia e a aceitação.

FAQ

Quais são os signos mais abertos à diversidade de gênero e sexualidade?

Signos de ar, como Aquário e Gêmeos, são muitas vezes associados à abertura e diversidade.

Quais os Planetas do Gênero Masculino?

O Sol, Marte e Júpiter são os planetas de natureza masculina.

Quais os Planetas do Gênero Feminino?

Na classificação de planetas de acordo com gênero, Vênus e a Lua são os planetas que se destacam por sua natureza feminina.

Quais os Planetas do Terceiro Gênero?

Os planetas que não se enquadram nas categorias masculino ou feminino são Saturno, Ketu e Mercúrio.

Picture of Pedro Cabral

Pedro Cabral

Graduação acadêmica em Comunicação e mais de 15 anos de dedicação à Astrologia Védica. Tudo teve início quando tive o privilégio de conhecer um ourives vaishnava, cuja inspiração me guiou. Ao longo do tempo, fui aluno de mestres indianos, lapidando com cuidado minhas habilidades. Sempre movido em enriquecer e contribuir ativamente para o florescimento da comunidade astrológica e dos amantes desta arte.

Contribua com a divulgação da Astrologia Védica!

Compartilhe!

4 Comentários

  • Olá, não achei indicação para o Nakshatra Chitra. Qual seria o gênero dele?
    Meu Sol é Shatabhisha, Lagna/Nakshatra é Chitra.

  • Tenho acompanhado suas publicações…Estou adorando por sinal…. fiquei intrigada… se venus estiver envolvida na conjunção entre ketu e mercúrio na mesma casa (4ª) em gêmeos….isso poderia dar inclinações bi?

    • Oi Michele!

      Lei de Ouro da Astrologia! Andorinha só não faz verão!
      O Navamsa tbm tem indicadores parecidos? Mas com os dados que você me deu podemos tirar algumas suposições.

      Em algum momento da vida essa pessoa vai se deparar com situações difíceis criadas por seus apegos, isso vai tirar sua paz em casa. Existem indicadores de abstenção ou obstrução de relacionamentos, uma pessoa que tem sentimentos ou traumas em torno de sentimentos profundos, que pode acabar optando ou preferindo ficar só por não encontrar alguém compatível com seus valores (antes só que mal acompanhado). Essa pessoa vai ter um apego enorme com seu animais de estimação e eles podem ajudar a lidar com esses sentimentos indigestos.

      O companheiro muitas vezes vai estar subjugado as vontades do nativo, mas ao mesmo tempo, tem um temperamento difícil, insatisfeito. Qual a distância entre Vênus e Marte?

Deixe um comentário

Não perca Tempo

Aprenda com os melhores. Se matricule em nossos cursos

Últimos Artigos

Não perca Tempo

Baixe a Apostila sobre os Primeiros Passos da Astrologia Védica inteiramente Grátis